domingo, 21 de dezembro de 2014

Que haja sempre muitos «hoje» para esquecer todos os «ontem»

Entrar numa outra dimensão. Ficar horas sem me lembrar de mais nada, do resto do mundo. Ter a sensação que o tempo parou, que a vida deixou de correr, que somos só nós e as nossas saudades, nós e os nossos abraços, nós e os nossos planos para estes dias de paz.
E esta sorte de termos dias de um sol lindo à nossa espera, a neve que faz a delícia de todos, as coisas boas que eu gosto e que só a minha mãe sabe, o colo e o abraço do melhor pai do mundo, o meu mundo inteiro no sorriso da minha irmã e esta profunda gratidão a Quem renova em mim a fé de saber que se não fossem tantas as esperas, talvez as chegadas não tivessem o mesmo sabor. 














O que encontramos sempre neste lugar


sábado, 20 de dezembro de 2014

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Querido Natal »♥«





Ideias tão bonitas e simples para as decorações de Natal.

» créditos imagens | nicety deco

Às vezes é demasiado simples para as pessoas perceberem

Bom é receber abraços fortes e apertados quando a vida parece perder, por momentos, o sentido. Bom é ter por perto quem nos quer bem quando questionamos se demos o nosso melhor. Bom é ver na fé que os outros têm em nós o quanto nos esquecemos de nos elogiar. Bom é conseguir parar para respirar, dar um intervalo ao coração, para serenar e deixar que os nossos olhos sejam lavados pelas nossas lágrimas para que possamos voltar a ver a vida de forma mais clara.
Bom é saber que o mundo está em ordem e que nos cabe colocarmo-nos em sintonia com essa ordem. Não há o que inventar: «Para te lembrares quem tu és, tens que te esquecer de quem te disseram para seres.»
Bom é não ter medo daquilo que fazemos quando sabemos que é o correcto. E que é impossível ser-se negativo quando se é grato. É perceber que algumas pessoas aparecem na nossa vida como bênçãos, outras como lições. E que o mundo muda com a maneira como nós olhamos para ele. Cabe a nós mudar a maneira como sentimos, sabendo que não existe nada no exterior que justifique sacrificar a paz interior. 
Bom, muito bom, é acreditar e praticar esta espécie de lema de vida: «quando a luz regressa à sua fonte, não tira nada daquilo que iluminou.»
» créditos imagem | our life in transit

Uma espécie de mantra