sábado, 26 de Julho de 2014

O fim-de-semana é melhor quando começa assim*








Ficou feita a promessa de um pequeno-almoço assim. Com muitas coisas boas como eles gostam. Com panquecas e muitas frutas, com iogurte e mel, com granola caseira e chocolate para barrar as torradas, com sumo natural de melancia igual ao do (nosso) Frutalmeidas, com ovos mexidos no ponto, com queijos e requeijão com compota de abóbora e nozes,com café fresco e o melhor aroma do mundo, com aquele-bolo-húmido-de-chocolate e a certeza de muitas horas de mimo o resto do dia.

* com a promessa deste amor eterno e tão bom, que faz o meu mundo girar no sentido certo da vida.

» créditos imagens | alice johnsson | lovely life /tant johanna

sexta-feira, 25 de Julho de 2014

Dos meus blogs favoritos #8


Junta todos os tópicos que me prendem a um blog: lifestyle, dicas de sítios onde ir, onde comer, onde ficar, viagens, sugestões de lojas e dicas para cuidarmos de nós, fotografias bonitas e harmoniosas, receitas deliciosas e práticas, uma escrita leve e despretensiosa.
Let it be cosy reúne esses tópicos todos. E eu sou muito fã da Rocío e deste delicioso blog.

Escolhas saudáveis (para quem acorda com fome)

Preparar um pequeno-almoço saciante e reconfortante. Começar o dia com papas de aveia é outra energia. Dá mais trabalho do que o meu tradicional pequeno-almoço (que adoro): leite com café e torradas com queijo magro e mel. Mas estas papas de aveia, ainda mornas e pouco doces, são tão boas e sabem tão bem que compensam os 15 minutos de preparação. 
Às vezes, como aconteceu hoje, faço a mais e deixo o que sobra guardado no frigorífico para o lanche.

Papas de aveia com fruta, canela, mel e sementes de papoila

1 laranja (só o sumo)
1 pêssego
2 nozes
1 pau de canela
1 casca de limão
100g de flocos de aveia
150 ml de leite
1 colher de chá de mel 
2 colheres de sopa de iogurte natural
1 mão cheia de mirtilos ou framboesas

Levar o pêssego, as nozes (cortados aos bocadinhos) e o sumo de laranja ao lume. Deixar ferver uns cinco minutos. Numa taça colocar os flocos de aveia, o leite, o pau de canela e a casca do limão. Ir parando para mexer e acrescentar mais um pouco de leite se estiverem muito grossas. Deixar arrefecer um pouco.
Envolver a aveia com o pêssego e as nozes (o sumo deve ter evaporado quase todo) e servir com o iogurte, o mel, as sementes de papoila e os mirtilos. É delicioso!

» créditos imagem | nice people, nice things

Uma espécie de mantra

» créditos imagem | noel shiveley

quinta-feira, 24 de Julho de 2014

A melhor hora da praia*






*a que me dá mais prazer fotografar.

Uma receita doce*




* Para aproveitar as deliciosas frutas do verão até ao último gomo.

Tarte de Alperce (inspirada na maravilhosa Claire Ragozzino)

Para a base
Fiz esta receita, mas dupliquei as quantidades.

Recheio
4 alperces
2 colheres de sopa de amêndoas torradas
8 tâmaras
1 colher de sopa de sumo de limão
1 colher de sopa de canela
10 gotas de essência de baunilha
1/2 chávena de óleo de côco
1 mão cheia de folhas de manjericão picadas

Levar todos os ingredientes ao processador até que fiquem bem envolvidos, e resultem numa massa cremosa. Se ficar um pouco espesso, acrescentar umas colheres de água gelada.
Levar ao frigorífico durante umas duas horas, para que fique bem firme.
Para decorar: 10 alperces fatiados, 1 colher de chá de mel, sumo de 2 laranjas, folhas de manjericão picadas. Misturar o sumo de laranja com o manjericão. Envolver as fatias dos alperces neste sumo. Deixar marinar (10/15 minutos). Dispor por cima do creme que entretanto já foi colocado por cima da massa da tarte. Aromatizar com mais manjericão na hora de servir.

» créditos imagem e receita original | vidya cleanse

Casa no Alentejo

Diz a canção que estamos sempre a tempo de mudar. E, se for para melhor, nem é preciso muita coragem.
Basta ter a morada certa, de uma casa de campo com nome de amor.
Para compreender o Alentejo, e este amor gigante que sentimos por ele, não basta o fim de semana. Uma semana parece igualmente escassa e um mês sabe a pouco.
Pegando na música que insiste em ser a banda sonora dos nossos sonhos, a vida inteira é o tempo que queremos ter para amar no Alentejo.
Procuramos e vamos descobrindo alguns lugares, como este, que nos faz multiplicar suspiros, vamos fazendo estrada, partilhando com os miúdos e medindo a sua opinião porque eles são o barómetro do amor genuíno.
Vamos tomando notas, fazendo perguntas, rabiscando nos cadernos todos os contornos, os detalhes, o que seria aqui e ali, o que queremos semear, o que queremos dar de nós. Os trabalhos de recuperação do capital imóvel, o desenho e o planeamento de uma arquitectura interior mais adaptada às necessidades de uma vida mais exigente, a adaptação e a reconversão do que pudermos. As mudanças no dia-a-dia, nos pequenos hábitos e compromissos com que estamos habituados a conviver. E, pouco a pouco, vamos conseguindo sentir o perfume das  laranjeiras, limoeiros e oliveiras que queremos plantar, nos cedros e nas amoreiras que não podem faltar, nas videiras que queremos ver crescer, no som dos cursos de água, no Sal a correr feliz, nos miúdos livres. Nas reuniões de família, que tanto prezamos e queremos por perto. Nos amigos com quem queremos partilhar a lareira e a mesa. Na nossa paz.
Sabemos que está próximo, quase no virar de uma esquina. E sabemos que são sonhos que se constroem e que, tal como a sorte, se procuram e se conquistam. Porque, no fim, são os sonhos (e o amor) que nos comandam a vida. 
» créditos imagens | às 9

Roupas (giras) para dias de sol*

Macacões, kimonos, ponchos, vestidos, saias compridas, calções, túnicas cheias de flores e rendas. Este estilo hippie-chic, boho, tão giro e tão verão.
Esta loja online tem os mais giros que já vi (ando a namorar este, este e este) e inspira com tantas imagens bonitas e combinações de peças.
É muito a minha praia.

» créditos imagem (numa produção fantástica) | spell and gipsy collective

Quebrar a rotina na dieta

O truque é mesmo não ter rotina. Não sentir que se está de dieta onde só entram grelhados e cozidos e, com as escolhas certas, enviar mensagens de reforço positivo ao cérebro, esse grande sonso que anda sempre à procura de uma aberta para nos desviar da rota. Quando mais variado e colorido for o plano, quanto menos monótono e desenxabido, mais probabilidades de sucesso terá.
No plano que sigo, a meio da semana (ou num dos dias do fim-de-semana - mas acho mais difícil, por isso normalmente escolho a quarta-feira) há um dia que é uma espécie de detox. Sumos, smoothies, muitos legumes, muita fruta e frutos secos, saladas cheias de coisas boas, azeite, mel, ovos cozidos, queijo magro, águas aromatizadas (faço todos os dias) e sopa. Simples, muito prático e uma quebra deliciosa na rotina dos dias.
Os 7 passos dos meus dias "verdes":

1. meia hora antes do pequeno-almoço (isto faço todos os dias, sem excepção) - 1 copo de água com sumo de 1/2 limão. Há dias em que faço chá branco com 1 pedaço pequeno de gengibre fresco (a combinação perfeita para 'alisar' a barriga).
2. pequeno almoço - 1 smoothie com: 1 banana, 60 g de framboesas, 1 kiwi maduro, 1 colher de sobremesa de sementes de sésamo, 4 pedras de gelo - triturar tudo no liquidificador ou com a varinha mágica.
3. meio da manhã - 2 fatias (grandes) de abacaxi + 1 taça de morangos.
4. almoço - salada de rúcula com abacate, nozes picadas, sementes de linhaça torradas, frango desfiado e um fio de mel misturado com uma colher de chá de azeite.
5. lanche - 1 smoothie com: 2 maçãs, 1 pepino sem casca, 2 chávenas de espinafres frescos, 1 colher de chá de raíz de gengibre, sumo de 1/2 limão, hortelã q.b., 2 pedras de gelo - triturar tudo no liquidificador ou com a varinha mágica.
6. jantar - creme de legumes ou gaspacho + 1 salada de tomate com mozzarela e oregãos frescos, temperado com sal, pimenta e um fio de azeite.
7. ceia - 1 taça de framboesas, amoras e mirtilos.

» créditos imagem | nourish & inspire me

quarta-feira, 23 de Julho de 2014

Pausa*

1. Conjugar o verbo ir.
2. Ler.
3. Ouvir.
4. Comer (bem).
5. Palavras que podiam ser minhas:

«Que a felicidade não dependa do tempo, nem da paisagem, nem da sorte, nem do dinheiro. Que ela possa vir com toda a simplicidade, de dentro para fora, de cada um para todos. Que as pessoas saibam falar, calar, e acima de tudo ouvir. Que tenham amor ou então sintam falta de não tê-lo. Que tenham ideais e medo de os perder. Que amem o próximo e respeitem a sua dor. 
Para que tenhamos a certeza de que ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade.» 
Carlos Drummond de Andrade

» créditos imagem | Elle Decor Italia

Dos meus blogs favoritos #7





Bocadinhos do dia-a-dia de uma família grande, linda, que pratica a simplicidade e a partilha das coisas mais deliciosas da vida.
Uma loja cheia de coisas giras, escolhidas pela lindíssima Sofia (namoro esta, esta e esta para os pequeninos) e um instagram tão bonito e harmonioso.
Faz parte do meu top de preferidos. As imagens e as simetrias explicam porquê.

 » mokkasin

Escolhas

Trabalhar em qualquer lugar, poder escolher entre ficar no recanto branco da minha casa, ou no meu adorado Choupana Caffe, ou passar a ponte e namorar a Casa do Sol e um bocadinho do mar que ilumina o meu sorriso, ou em dez minutos a pé entrar numa espécie de campo dentro da Lisboa que é minha. Sem barulho, quase sem ninguém, só um jazz delicioso, as melhores tostas, os sumos naturais e muitos pinheiros e eucaliptos à volta.
Ou tirar o dia, os dias, para ficar com eles. Poder fazê-lo!
Fazermos panquecas e crepes, rebolar na relva ao lado de nossa casa, fazermos pic-nics com temas de índios e cowboys, apanhar flores e paus para fazer colagens e pinturas, passar a ponte e ir à praia, por uma hora que seja, inspirar o som do mar, trazer sal na pele e areia nos pés. Ir a pé ao mercado e à Conchanata, dizermos bom dia a quem já nos conhece, a quem os mima com os sorrisos e os elogios que merecem. Jogar à bola, passear e brincar com o Sal. Vê-los a inventar os seus mundos as suas brincadeiras e participar delas. Dar corpo a essa imaginação infantil e estimular a atividade, a partilha, a interação e a relação de três crianças com idades tão diferentes, unidas por um Amor pela família, pela confiança, pelo carinho e atenção que lhes dou e que merecem.
Dar-lhes o melhor que tenho: tempo de qualidade, o meu tempo, o nosso tempo e amor. Sei-os felizes. Apesar de tudo e de tanto, felizes.
São escolhas. Das que são feitas com o coração. Entre a segurança de um horário e um valor certo no final do mês e a liberdade total de horários e de um valor incerto no último dia do calendário (às vezes muito mais, às vezes muito menos - poupar é sempre palavra de ordem). Sentir que compensa e que o trabalho que faço fora de horas, quando a casa fica em silêncio e sou só eu e o meu adorado Sal, é o preço-agridoce a pagar por tudo o mais que lhes dou.
Escolhas. Trabalhar a partir de qualquer lugar, organizar, estruturar, dar vida aos sonhos, os meus e os dos outros, conceber projectos, devolver força e fé a quem a perdeu, resumir os meus dias com esta palavra que diz tanto de mim. Saber que tudo leva tempo e que a vida nos ajuda a resolver tudo, num tempo que é o seu.
Confiar. Escolher confiar. Na vida. No (meu) coração. Em nós.

[Às vezes o medo ainda bate à porta. Acho que vai bater muitas mais. Não desistir dos sonhos é a resposta que lhe dou e este saber que não estou sozinha neste confiar, arriscar e seguir o coração]

Ideias giras para dias de sol*

Acessórios. Adoro acessórios. Lenços, bandoletes, chapéus, e, (giros, mesmos giros), os turbantes.
As minhas escolhas:
 - os lenços mais giros para o verão, aqui. (aproveitar os saldos!)
 - os acessórios mais giros e cheios de cor, aqui.
 - os chapéus aqui.
 - e uma marca que tem os turbantes mais giros de sempre.

[uma ideia gira para usar um lenço/turbante, desta miúda linda, a quem tudo fica bem] 

» créditos imagens | treasures and travel

As preferidas da criançada

2 chávenas de aveia triturada
2 ovos
2 bananas esmagadas (quase líquidas)
6 colheres de sopa de leite (usei magro)
1 colher de chá de fermento

Juntar todos os ingredientes no processador até estarem bem envolvidos. Cozinhar as panquecas numa (boa) frigideira, anti-aderente, por 3 minutos de cada lado.
Servir com iogurte grego ligeiro, muitos mirtilos, mel, canela e um delicioso sumo de melancia com um bocadinho de gengibre fresco (ou umas folhas de hortelã, também fica óptimo).
Dicas para simplificar: 
 - deixo sempre a mesa posta de véspera. 
 - deixo tudo organizado (ingredientes que podem ficar já separados) para quem de manhã seja mais simples e mais rápido. 
O pequeno-almoço fica pronto em 15 minutos. E os dias que começam assim, começam muito melhor.


terça-feira, 22 de Julho de 2014

Banda sonora de Julho*

la vie en rose
» créditos imagem | treasures and travel

Quem fotografa assim »♥«

 







» photo credits | Finn Beales

Receitas «menos peixe-balão»

1,5 lt de água
8 morangos
10 mirtilos
6 rodelas de pepino
1 mão cheia de folhas de hortelã
sumo de 1 limão
sumo de 1 fatia de ananás fresco

Cortar os morangos em quartos. Juntá-los num jarro com os mirtilos, a hortelã, o  pepino, o sumo de limão e o sumo de ananás.
Deixar no frigorífico durante a noite. Beber no dia seguinte.

(também fica óptima com ameixa e alecrim)

» imagem | oh my veggies

Aqui não há asneira para ninguém*

Neste plano não há dia da asneira. Não há abertas, tolerâncias, dias assim-assim e desculpas que se desculpam. Não há meias vontades, dias da semana a pensar no fim-de-semana e dias em que afinal podemos voltar "ao normal" e a comer tudo o que bem nos apetecer. Nada disso. 
Neste plano a regra é ser feliz. Só isso. Ser feliz. E não é nada simples. Porque este querer ser feliz (mais feliz) implica adoptar para sempre um novo estilo de vida. Sim, para sempre. Com esta solenidade toda. Com esta importância toda. Só assim faz sentido. 
É preciso ser mais criativo, é preciso ter mais vontade, é preciso olhar para a comida, para os doces, para o pão, para tudo aquilo que antes era dado adquirido como "à vontade" e transformá-los em amigos da linha. Dá trabalho, dá muito mais trabalho do que "enfiar" qualquer coisa quando a fome aperta (e os nervos, a ansiedade, a insegurança, o quero-lá-saber) batem à porta da nossa mente inquieta. Dá tanto trabalho como querer ser feliz e lutar por isso. Todos os dias.
Dizem que também esta felicidade, de gostarmos mais de nós, vale a pena. Eu acredito. Já lá estive, sei de cor ao que sabe este amor-próprio. E sei que é muito mais doce do que qualquer doce do mundo. 
Também sei que engorda, mas não é na barriga, nem nas ancas. É no coração, na alma, na força do espírito, na coragem do ser e do querer para nós o melhor, (e só o melhor) que há na vida.

Tarte de iogurte e amoras (pode ser pequeno-almoço, lanche ou sobremesa)

4 chávenas (de chá) de aveia
10 colheres de sopa de amêndoas laminadas
6 colheres de sopa de manteiga de amendoim
4 colheres de sopa de mel

3 iogurtes grego (ligeiro)
6 colheres de sopa de compota de frutos silvestres (0%)
5 folhas de gelatina incolor
raspa de 1 lima
8 gotas de essência de baunilha
3 colheres de chá de sementes de chia
amoras frescas

Misturar todos os ingredientes da massa (excepto o mel e a manteiga de amendoim) no processador. Deixar envolver muito bem. Misturar a manteiga com o mel e envolver (sem bater) no preparado da aveia até ficar muito bem "ligado". Numa tarteira forrada com papel vegetal dispor a massa e moldar bem. Levar ao frigorífico para solidificar (30 minutos).
Misturar o iogurte grego ligeiro com a essência de baunilha, as folhas de gelatina já derretidas e a raspa da lima. Verter o preparado sobre a massa. Decorar com a compota de frutos silvestres, as sementes de chia e as amoras frescas. Aromatiza com alecrim fresco.

* - a base da receita é do Eat Love

» créditos imagem | my darling lemon thyme

segunda-feira, 21 de Julho de 2014